True Detective S02E08 – Omega Station

A segunda temporada de True Detective não deixará saudades. Uma pena. A série que estreou ano passado conquistando público e crítica voltou, mas não convenceu. Com uma trama fraca, arrastada, personagens mal inseridos e mal desenvolvidos, com diálogos fracos e roteiro decepcionante o seriado não empolgou.

Depois de tantas ida e vindas, tramas e subtramas, o assassinato de Ben Caspere não teve viés político, nem sexual, nem religioso. Foi uma vingança dos irmãos sobreviventes do assalto a joalheria em 1992. Eles cresceram, ela acabou se prostituindo e frequentando uma das festinhas e acabou como assistente do administrador. Já o irmão ficou meio maluco e se vingou pela morte dos pais e pelo destino da irmã. Mas o pior foi o desfecho do caso, que se resumiu em um tiroteio numa estação de trem.

O último capítulo teve seus bons momentos e eu particularmente gostei do final amargo dos personagens Frank Semyon (Vince Vaughn) e Ray Velcoro (Colin Farrell). Era algo esperado até, mas acredito que ambas as cenas foram muito bem feitas e muito bem construídas. O destino das personagens Ani Bezzerides (Rachel McAdams) e Jordan Semyon (Kelly Reilly) também foi bacana, com as duas tentando refazer as vidas na Venezuela, bem longe de Vinci e de todos os problemas que lá encontraram.

Mas o grande problema de True Detective foi o caminho percorrido para chegar a esse season finale. Foi uma temporada muito complicada, principalmente os quatro primeiros capítulos onde tudo caminhou lentamente e praticamente nada aconteceu. Foi uma tremenda perda de tempo e não houve uma preocupação em desenvolver os quatro personagens principais (outro erro em relação à temporada anterior que só tinha dois). E mesmo no fim, muitas pontas soltas terminaram do mesmo jeito. Tudo ficou muito abaixo das expectativas.

A comparação com o primeiro ano é injusta? Certamente. Já sabíamos que seria outra trama, em outra cidade, com outros personagens e outros atores. Mas faltou um roteiro conciso, que soubesse explorar os personagens, a cidade e a história em si. Uma pena. Ficou um gosto agridoce no final das contas. True Detective merecia muito mais.

Fabio Martins

Santista de nascimento, flamenguista de coração e paulistano por opção. Fã de cinema, música, HQ, games e cultura pop.

Learn More →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.