‘Meu Pai’ é belíssimo e conta com atuação espetacular de Anthony Hopkins

A sanidade mental é tema recorrente no cinema, mas dificilmente é tratado da maneira que Meu Pai (The Father, 2021) retrata. Sensível, triste, belíssimo e carregado de emoção, ele conta com uma atuação excepcional de Anthony Hopkins, bem como da ótima Olivia Colman, um dos grandes nomes de sua geração, assim como o eterno doutor Hannibal Lecter. Não por acaso o filme concorre ao Oscar em seis categorias: Filme, ator, atriz coadjuvante, roteiro adaptado, montagem e direção de arte.

Em Meu Pai, Anthony (Anthony Hopkins) é um octogenário bem-sucedido, que mora em um apartamento amplo em Londres, recebendo ocasionalmente a visita da filha mais velha, Anne (Olivia Colman). Em suma, ele se recusa a reconhecer as dificuldades da idade e rejeita todas as ajudas da primogênita que insiste em contratar uma cuidadora para zelar pela saúde do seu pai.

Truques da mente

Ao invés de explorar clichês baratos e batidos em debates entre a filha sã e o pai senil, o diretor Florian Zeller acerta ao fornecer ao espectador uma nova visão, mostrando o mundo pelos olhos de Anthony. Isso nos permite entender como nossa mente é capaz de nos pregar peças e como ela “funciona” quando está deteriorada.

Anthony está confuso, não aceita que sua mente não é mais a mesma e a notícia que que Anne está se mudando para Paris o confunde ainda mais. E no meio dessa nova realidade, o elegante octogenário entra em colapso. Ele acredita que querem tomar seu apartamento, duvida das intenções da filha, cisma com o seu genro e acredita que tem um estranho invadindo o seu lar.

Zeller, Hopkins e Colman

E o grande acerto de Zeller é não deixar explícito ao espectador se Anthony está certo em suas alegações ou se tudo não passa de um estágio de sua insanidade mental. Montado com muito cuidado, O Pai comove principalmente tratar o assunto com delicadeza, seriedade e, principalmente, pelas atuações de Hopkins e Colman.

Por fim, falar sobre o talento de ambos é chover no molhado. Em outras palavras, as carreiras de ambos falam por si. Mas, antes de mais nada, é importante ressaltar que em O Pai, além dos talentos individuais, tem a química entre os atores. E isso é fundamental para o desenvolvimento da história. Não há um tentando se sobressair do outro. Existe uma grande cumplicidade e parceria que permite que cada um tenha seus momentos para brilhar. E quando o filme tem um roteiro e uma direção que ajuda o trabalho fluir, o resultado é um filme espetacular.

Ficha técnica – Meu Pai

Título original: The Father
Direção: Florian Zeller
Roteiro: Florian Zeller, Christopher Hampton
Elenco: Anthony Hopkins, Olivia Colman, Mark Gatiss, Imogen Poots, Rufus Sewell, Olivia Williams
Data de estreia: 11 de março de 2021
País: Inglaterra, França
Gênero: drama
Ano de produção: 2020
Duração: 97 minutos
Classificação: 14 anos
Onde assistir: Now, Itunes, Google Play, Looke, Youtube, Belas Artes à Lá Carte e cinema.

Fabio Martins

Santista de nascimento, flamenguista de coração e paulistano por opção. Fã de cinema, música, HQ, games e cultura pop.

Learn More →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.