‘Creed 3’ honra os filmes da saga Rocky e cria sua própria identidade

O terceiro filme da franquia ‘Creed’ que é um spin – off da grande saga de sucesso dos filmes de Rocky Balboa estabelece muito bem a sua maturidade e que sabe sim caminhar sozinho sem a sombra de sues antecessores, mas ainda sim sendo bastante auto referencial e não esquecendo da fórmula que deu certo até hoje.

‘Creed 3’ tem a direção do também ator principal do filme Michael B. Jordan (Adonis Creed) que já se estabeleceu como um grande campeão e vive uma ótima vida com Bianca (Tessa Thompson) e sua filha Amara (Mila Davis-Ken). Tudo inclusive está tão bem que Adonis não tem mais o que conquistar depois do mundial de pesos pesados e decide se aposentar e focar mais nos projetos de suas esposa, em seus projetos e também para sua família. No entanto, quando Damien (Jonathan Majors) reaparece em sua vida depois de 18 anos, Adonis se vê quase que na responsabilidade de lhe ajudar, porém o antigo amigo visa algo muito maior e não medirá esforços para conseguir. Assim, resta a Adonis ser o único que poderá impedi-lo, fazendo-o com que saia de sua aposentaria para uma luta que vale muito mais do que qualquer título.

Creed 3

Debute de luxo

É importante ressaltar que este é o primeiro filme dirigido por Michael B. Jordan. E essa decisão vem com um peso de dar continuidade em uma das sagas mais famosas da história do cinema. E talvez esse seja o total diferencial de Creed 3, pois é perceptível o cuidado e carinho como tudo se desenvolve e nos é apresentado.

Logo de início, no primeiro ato, temos uma revanche de Creed com um velho conhecido dos filmes, e nessa luta pode-se perceber que houve um certa mudança nas estrutura das lutas. Diferente dos seus filmes antecessores, elas agora possuem um tom mais cinematográfico e com um peso quando acontece. E isso reverbera em toda a sua continuidade, pois a trama principal vai girar em torno dessa luta decisiva entre Adonis e Damien.

O roteiro é muito inteligente em apresentar que os problemas nunca acabam. Eles apenas mudam de tamanho e Adonis agora vive uma vida completamente tranquila, mas que fica extremamente abalada depois da aparição daquele que era seu melhor amigo na infância. Além disso, ele chega por um motivo muito singular, lembrando quando suas vidas tomaram rumos completamente diferentes e isso é mostrado procedimentalmente através de flashbacks que contam uma pequena história ao longo do filme e em cada momento específico para dar ênfase em algo que está acontecendo.

Creed 3

Damien e Adonis

Todo o desenrolar dessa relação entre Damien e Adonis sempre gera um clima de tensão desde o primeiro encontro. Mesmo que tenha um nível muito amistoso, ainda resta alguma mágoa ali dentro de ambas as partes. E isso desenvolve muito bem outros aspectos de Adonis até no caso de ele ter problemas para falar de seus sentimentos e de seu passado. Ele entende que a melhor maneira de se resolver é enfrentando e não fugindo. Para ele, esse sentimento reprimido resvala em seu relacionamento com sua mãe, com sua esposa e, principalmente, com sua filha Amara que se comunica através de linguagem de sinais e que é um espetáculo tanto como personagem solo como quando surge para dar mais sentido a vida do campeão.

Novos e velhos conhecidos

O universo que foi construído tem muito cuidado. Temos novos lutadores na academia, figuras de filmes antigos dão as caras novamente ao melhor estilo dos outros filmes da saga, onde a luta acontece apenas no ringue pois fora dela todos são profissionais e amigos. Porém, essa lição não se aplica a Damien que tem um objetivo e não mede esforços para conseguir o que quer. Mas isso é colocado de uma maneira muito inteligente e não necessariamente o posicionando como vilão. Apenas alguém com um ponto de vista diferente.

Adonis agora precisa mais do que nunca resolver essa pendência do passado que diz única e exclusivamente a ele. Isso é uma evolução direta dos dois outros filmes, onde a situação girava em torno de Rocky precisar se provar que era bom não apenas no nome, ou então depois quando queria provar que os fantasmas do passado de seu pai não iriam mais impedi-lo de evoluir.

Trilha sonora

A trilha sonora é um show à parte. Sempre muito funcional e criando o clima de tensão ou de excitação quando necessário, juntamente com uma fotografia primorosa que agora utiliza de novos artifícios. Principalmente nas lutas que agora ganham um novo contexto de outro ponto de vista no sentido de urgência, culminando para o clímax da luta final. Essa então é um show a parte. Algo memorável, digno da saga a qual pertence. Tudo que gira em torno, todas as questões envolvidas, sentimentos, paixões, passado, perca ganho estão ali, fazendo até com que o título que é a disputa da luta seja esquecido nesse show cinematográfico que é o clímax do embate.

Todos os outros personagens estão também incríveis e servem a algum propósito. Assim como Amara. Eles servem para auxiliar os personagens principais a se desenvolverem, até mesmo na clássica montagem de treinamento ou então pela sua própria carga dramática.

Nem tudo são flores

Mas como nem tudo são flores, é sabido que o ator Sylvester Stallone teve problemas criativos com o diretor e a produção. Segundo ele, o filme estava indo para um lado que não o agradava e por isso achou melhor sair. Isso deixa um buraco na história, pois Rocky nem ao menos é citado devidamente durante todo o filme. Esse papel de incentivador e pessoa que auxilia principalmente psicologicamente Adonis faz uma certa falta. Assim como o CGI que por muitas vezes exagera um pouco no fundo das lutas. Assim, o que era para dar uma sensação de euforia, às vezes provoca o contrário.

Mas claro nenhum destes pontos tiram todo o mérito do grande filme que Creed 3 é. Mesmo sendo lançado no começo do ano, com certeza já desponta e vai se manter como um dos melhores de 2023 e de toda a sua franquia.  Estabelecendo novidades, deixando inclusive algumas portas abertas para possíveis continuações mas nunca se esquecendo de onde veio.

Nota: 9

Trailer – Creed 3

Ficha Técnica

Título original: Creed 3
Direção: Michael B. Jordan
Roteiro: Keenan Coogler, Zach Baylin, Ryan Coogler
Elenco: Michael B. Jordan, Tessa Thompson, Jonathan Majors, Wood Harris, Phylicia Rashad, Phylicia Rashad
Onde assistir: somente nos cinemas
Data de estreia: 02 de março de 2023
Duração: 116 minutos
País: Estados Unidos
Gênero: drama, ação
Ano: 2023
Classificação: 12 anos

Don Florentino

Crítico, Nerd, Gamer que sabe que a verdade está lá fora. Viciado em séries, cinema e cultura pop em geral. Diretor de dois curtas metragens mas que hoje prefere atuar nos bastidores. Sonha em um dia visitar Hogwarts e o Condado e deseja que a força esteja sempre com você.

Learn More →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.