“É muito simples dizer que o lobo transforma carne e sangue; Ele transforma vidas”. As primeiras palavras de Lua do Lobo, ainda no prefácio escrito pelo criador Cullen Bunn, já revelam que as páginas a seguir trazem muito mais do que terror e violência: contém drama e reflexões com uma aposta pesada no lado humano