Novidades

Pantera Negra | Crítica do filme

Um dos embates mais simplórios entre fãs da Marvel e da DC Comics diz que o grande motivo da primeira fazer enorme sucesso e deixar a segunda comendo poeira é porque seus filmes são bem-humorados e coloridos e o grande público não tem interesse pelo peso dramático, seriedade e densidade das produções dos “super amigos”. Balela. “Pantera Negra” prova que esse discurso não faz nenhum sentido. Além de ser o longa mais sério, ele é – ao lado de “Capitão América 2: O Soldado Invernal” – o melhor filme do Universo Marvel.

Antes de tudo, Pantera Negra é sim um filme sobre representatividade e diversidade. Dirigido, produzido e com um elenco praticamente formado por profissionais negros, ele exalta a cultura africana, suas belezas naturais, religiosidade, costumes. tradições e figurinos, além de destacar as mulheres em papéis importantes em posições importantes, seja como militares, estrategistas e cientistas.

A história do filme se passa logo após os acontecimentos de Capitão América: Guerra Civil, onde o príncipe T’Challa (Chadwick Boseman) precisa assumir o lugar do seu falecido pai e ocupar o trono de Wakanda. Formado por diversas tribos, o país fictício vive um dilema que divide os súditos: Uns acham que o local precisa continuar escondendo do mundo a sua riqueza e tecnologia enquanto outros acreditam que é hora de Wakanda colocar o seu poderio bélico para impor perante outras nações e não ser tratada mais apenas como uma simples aldeia africana. Para complicar ainda mais a situação, o vilão Erik Killmonger (Michael B. Jordan) aparece para pleitear o trono e se tornar o novo Pantera Negra.

Assim como Logan, Pantera Negra é e ao mesmo tempo não é um “filme de super herói”. Não existe uma força sobrenatural ou plano de dominação mundial a ser combatido. É uma jornada do herói, uma luta pelo poder e herança pelo trono de Wakanda. Trata-se do filme mais ousado do Universo Marvel, praticamente sem piadas, com uma história sólida, personagens cativantes e com o melhor vilão que a Marvel já colocou nas telas de cinema.

Grande responsável pela qualidade de Pantera Negra é o diretor e roteirista Ryan Coogler. Além de ter feito um excelente trabalho tanto na direção, quanto no roteiro, acertou em cheio na escalação do elenco. Não é nenhum exagero afirmar que Chadwick Boseman, Michael B. Jordan, Lupita Nyong’o, Danai Gurira, Daniel Kaluuya, Letitia Wright, Sterling K. Brown, Angela Bassett, Forest Whitaker, John Kani, Andy Serkis e Martin Freeman é o melhor time de atores reunidos em um filme solo de herói Marvel.

Sem contar que em seu terceiro longa, Coogler repete pela terceira vez a parceria com Jordan. Eles trabalharam juntos no belo drama “Fruitvale Station: A Última Parada”, no ótimo “Creed: Nascido Para Lutar” e agora em Pantera Negra onde o ator faz um vilão inesquecível, com motivação e razões compreensíveis pela sua luta e desejo de vingança.

O elenco feminino é outro ponto forte de Pantera Negra. Danai Gurira está incrível como Okoye, a líder da guarda real de Wakanda, assim como Lupita Nyong’o no papel de Nakia, uma das agentes secretas da guarda real e par romântico de T’Challa no filme. Destaque também para a jovem Letitia Wright (que ganhou destaque na quarta temporada de Black Mirror estralando o episódio Black Museum) interpretando Shuri, irmã do novo rei, responsável pelas criações tecnológicas do país e alívio cômico do filme.

Pantera Negra é um filme belíssimo e de extrema importância para os dias atuais. Numa época em que presidente de uma grande nação classifica as nações africanas como “buracos de merda” ver uma empresa como a Disney esfregar na cara desse cidadão toda a magnitude, beleza e força da cultura africana é extasiante. Wakanda Forever!!!

Fabio Martins on twitterFabio Martins on linkedinFabio Martins on instagramFabio Martins on googleFabio Martins on facebookFabio Martins on email2
Fabio Martins
Santista de nascimento, flamenguista de coração, paulistano por opção. Ama vídeo game, cinema, séries, música, nerdices e cultura pop em geral.
About Fabio Martins (413 Articles)
Santista de nascimento, flamenguista de coração, paulistano por opção. Ama vídeo game, cinema, séries, música, nerdices e cultura pop em geral.