Novidades

Logan | Crítica do Filme

Em determinado momento da coletiva de imprensa realizada neste domingo (19), o ator Hugh Jackman disse que esperava que os fãs dos X-Men saíssem do cinema dizendo que “finalmente fizeram um bom filme do Wolverine”. Infelizmente tenho que discordar do astro. Logan não é um bom filme do mutante da Marvel, ele é o melhor longa da franquia dos mutantes treinados por Charles Xavier e só não é um top 3 dos filmes de super-heróis porque ele não se enquadra nessa categoria. Ele é muito maior que isso. É um filmaço.

Sim, Logan justifica a censura dos 18 anos. Ele é violentíssimo, brutal e bem chocante. Com violência bem explícita, membros e cabeças decepadas a dar com pau que representam muito bem o que o Wolverine é nas HQs. Mas aqui ele não está no auge de sua forma física e mental. Nem ele, nem o Professor X, que sofre com demência e constantemente medicado para evitar que faça alguma bobagem com a sua mente ainda poderosa.

Ao contrário das super produções envolvendo os X-Men, Logan é um filme aparentemente barato. E isso só conta a favor. Sem grandes efeitos especiais ou mega explosões, o longa é uma mistura de road movie, com western e uma pitadinha do cinema pós-apocalíptico australiano.

Velho, alcoólatra e com o fator de cura bem baixo, Logan (Jackman) leva uma vida medíocre trabalhando como motorista de limusine em uma cidade americana que faz fronteira com o México. Estamos em 2029, os mutantes não existem mais e são lembrados apenas em velhas histórias em quadrinhos. Sua vida muda quando a pequena Laura (a ótima revelação Dafne Keen), uma mutante que conversa telepaticamente com o Charles Xavier (Patrick Stewart) aparece e um grupo de soldados vai caçá-la.

Em fuga, Xavier e Logan, começam a entender a pequena Laura e sua semelhança com Wolverine: as garras de adamantium e, principalmente, o pavio curto. Aos poucos, descobrem que tanto ela quanto outras crianças são frutos de uma experiência genética e que adquiriram poderes para serem usadas como super soldados. Sua única esperança é encontrar o Éden, uma espécie de paraíso dos mutantes que ainda vivem e que onde a menina, junto com os outros pequenos podem viver em segurança.

Com um roteiro muito bem escrito, ótimas atuações e uma direção muito segura, Logan é um filme que todo fã dos X-Men e, principalmente, do Wolverine mereciam. Um longa que honra a essência do personagem, que não cai no clichê barato e que em nenhum momento deixa a peteca cair. Grandioso e ao mesmo tempo melancólico, ele não ficará lembrado apenas como um filme super violento. Ele será lembrado como um filme digno, humano e que não depende apenas de infinitas cenas de ação ou efeitos especiais para encantar seu público. Ele tem vida, tem alma e, principalmente, tem coração.

Logan
Direção: James Mangold
Roteiro: David James Kelly
Elenco: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Dafne Keen, Boyd Holbrook e Stephen Merchant.

Fabio Martins on twitterFabio Martins on linkedinFabio Martins on instagramFabio Martins on googleFabio Martins on facebookFabio Martins on email2
Fabio Martins
Santista de nascimento, flamenguista de coração, paulistano por opção. Ama vídeo game, cinema, séries, música, nerdices e cultura pop em geral.
About Fabio Martins (392 Articles)
Santista de nascimento, flamenguista de coração, paulistano por opção. Ama vídeo game, cinema, séries, música, nerdices e cultura pop em geral.
  • Mateus Baraldi

    Ótima crítica Fábio!
    Só me fez ficar com ainda mais vontade de ver esse filme…
    Um personagem tão querido, merecia um filme digno… pelos trailers e entrevistas que li, parece que o Hugh Jackman encontrou o coração do nosso Wolverine.
    Um abraço.

    • dimensaogeek

      É hoje, Mateus!!!!
      Obrigado pelos elogios. Espero que você goste do filme.
      Abração