Novidades

Game of Thrones S06E05| The Door

Sem tempo para respirar. Assim está a sexta temporada de Game of Thones, com revelações, despedidas e novas armações em ritmo alucinante para ninguém botar defeito. Sem depender mais do livro de George R. R. Martin e com poucas temporadas para encerrar a história, a série chega no quinto episódio sem enrolação. The Door é um daqueles episódios que será marcado por uma despedida triste, uma descoberta surpreendente e com as peças avançando freneticamente no tabuleiro do Jogo dos Tronos.

O grande foco da história continua sendo no Norte, com os Starks querendo retomar seu espaço, os Greyjoys escolhendo seu novo líder e as visões de Bran, que revelaram o motivo de Hodor ter ficado nesse estado que se encontra hoje, como o Rei da Noite nasceu e marcou a despedida de dois personagens queridos da série. Se ainda restava alguma dúvida de que esta é a melhor temporada de Game of Thrones, ela terminou neste domingo. The Door foi emocionante, revelador e excepcional.

Sansa Stark definitivamente não é mais a mesma que conhecemos das primeiras temporadas. Seu tempo com Mindinho e, principalmente, Ramsay Bolton a tornaram madura o suficiente para peitar o seu “titio salvador”, declarar guerra ao ex-marido e buscar aliados para retomar o seu castelo. Além de Jon Snow, Sor Davos, Brienne e a Sacerdotisa Vermelha e possivelmente algumas famílias vizinhas, um dos seus novos parceiros pode ser a frota das Ilhas de Ferro que que, comandada pelos irmãos Theon e Yara Greyjoy, partiu de sua terra natal após a auto coroação de Euron Olho de Corvo como novo rei do lugar. A história dos Greyjoys é uma das poucas que ainda está atrasada em relação aos livros e bastante diferente, pois não adaptaram um dos irmãos do rei Balon (que no livro parece que terá um destino interessante) e praticamente ignoraram o outro irmão, o sacerdote Aeron Cabelos Molhados.

The Door serviu também para nos despedirmos (espero que não definitivamente) de Jorah Mormont. Em uma cena emocionante, o Ândalo revelou o amor que sente por sua rainha, mas disse que vai se afastar por causa do escamagris que já está tomando conta do seu antebraço e só tende a piorar. Emocionada, Daenerys lembra das vezes que expulsou seu cavalheiro e ressaltou que precisa dele ao seu lado quando tomar o reino para si. Mas para isso o grande urso terá que encontrar a cura antes de ser petrificado para sempre.

Daenerys ainda foi lembrada indiretamente no diálogo de uma outra sacerdotisa vermelha com Lorde Varys. A falta de fé do eunuco intrigou a bruxa que o fez lembrar de quando teve suas partes íntimas arrancadas em nome do Deus Vermelho. Claro que só pode ser o nome da Mãe dos Dragões que ele deve ter ouvido o fogo “dizer” na hora em que suas partes eram jogadas nas labaredas. Afinal de contas, ele sempre trabalhou para que ela recuperasse o trono para a sua família. E isso pode ser um indicativo de sua devoção por ela.

Mas é claro que a parte emocionante de The Door foi descobrirmos como o pequeno Willys se tornou no querido grandalhão Hodor e como o Rei da Noite foi criado. Em um dos seus flashbacks com o Corvo de Três Olhos, Bran descobre que os Filhos da Floresta criaram o primeiro Caminhante Branco para protege-los dos homens, que estavam destruindo suas florestas. E a teimosia do garoto, que sem o Corvo de Três Olhos, resolveu olhar para o passado teve um preço alto. E essas visões podem sofrer intervenções com o garoto. Não sabemos ainda se é um dom dele ou força das circunstâncias. Pois o Rei da Noite conseguiu tocá-lo e, por isso, descobrir o local o seu esconderijo e, durante a invasão do seu exército de mortos vivos, Bran entrou no corpo de Hodor, mas essa dominação acabou se refletindo também no passado, quando o jovem Stark observava o pequeno Willys, deixando-o em estado de choque.

E, tristemente, sabemos porque o adorável grandalhão se transformou e só consegue pronunciar a palavra Hodor. No presente, durante a fuga, ele recebe a instrução de Meera Reed para segurar a porta enquanto ela foge com Bran: Segure a porta (Hold the door, em inglês). O pequeno Willys em transe, começa a repetir desesperadamente a frase no passado: Hold the door… Hold the door… Ho the door… Ho the door… Ho th oor… HODOR… HODOR… HODOR… HODOR… e Assim foi revelado o mistério e acabou marcando a despedida desse querido personagem que era tão amado e ficou segurando a porta enquanto era devorado pelos Caminhantes Brancos.

Fabio Martins on twitterFabio Martins on linkedinFabio Martins on instagramFabio Martins on googleFabio Martins on facebookFabio Martins on email2
Fabio Martins
Santista de nascimento, flamenguista de coração, paulistano por opção. Ama vídeo game, cinema, séries, música, nerdices e cultura pop em geral.
About Fabio Martins (401 Articles)
Santista de nascimento, flamenguista de coração, paulistano por opção. Ama vídeo game, cinema, séries, música, nerdices e cultura pop em geral.