Westworld S03E03| The Absence of Field

Se nos dois primeiros episódios desta terceira temporada percebemos que Lisa Joy e Jonathan Nolan pegaram elementos de diversos clássicos de ficção científica, em The Abscence of Field podemos afirmar sem exagerar que os showrunners de Westworld uniram todas essas referências e criaram uma ideia bastante interesante, que abre novas possibiliddes, novos questionamentos e um futuro nada previsível.

Um dos acertos dessa temporada é a divisão de núcleos entre os personagens principais de Westworld. De um lado temos o núcleo de Bernard (Jeffrey Wright) e Maeve (Thandie Newton) e do outro, mostrado em The Abscence of Field, com Dolores (Evan Rachel Wood), Caleb (Aaron Paul) e agora Charlotte Hale (Tessa Thompson). Assim dá tempo de desenvolver melhor as histórias de cada protagonista. Neste episódio, com um belo destaque para a executiva da Delos, que agora é um anfitrião.

Ainda sem sabermos quem de fato está ocupando a mente de Charlotte, Abscence of Field revela que pouco sabemos quem era, na verdade, a diretora executiva da Delos, sua relação conturbada com o ex-marido Jake (Michael Ealy) e sua distância com o filho pequeno Nathan (Jaxon Thomas Williams). O anfitrião que agora ocupa sua mente está confuso com o seu novo corpo e ao mesmo tempo que se acostuma com ele, precisa se adaptar a vida e realidade da verdadeira Charlotte. Fazendo um contraponto interessante sobre a maneira que os robôs aprendem com o homem e o que conseguem ensinar para ele. Afinal de contas, o anfitrião, pelo menos na relação entre ela e o filho, mostra que é muito mais humano que a executiva.

Por falar em lado humano dos anfitriões, em Abscence of Field fica evidente que a guerra da Dolores não é mais contra a humanidade e sim pelo livre-arbítrio, já que este é um direito que nem humanos, nem anfitriões têm. Esssa luta é colocada em questão em seus encontros e, principalmente, no último diálogo que a anfitriã tem com Caleb.

A conversa começa justamente no pior lugar possível para o ex-soldado, na mesa da lanchonete em que foi abandonado pela mãe esquizofrência aos cinco anos de idade. Ali, Dolores revela quanto o Rehoboam – o sistema de coleta e uso de dados humanos criado pela Incite – sabe das pessoas e como ele influencia em suas vidas e seus destinos.

Ainda sobre o lado humano dos anfitriões, importante ressaltar que embora seja uma vitima desse sistema criado pelo homem, Dolores mostra uma certa ambiguidade moral nessa luta pelo livre-arbítrio. Ao mesmo tempo que ela nutre ódio pelos humanos que fizeram Westworld para se divertir com os anfitriões, ela acaba fazendo exatamente o mesmo com os anfitriões que estão sob o “seu comando”. Sem qualquer compaixão ou simpatia, ela usa do seu poder para comandar essa “nova história” dos robôs e inclui-los na sua luta. Ou seja, aqui é possível adaptar a frase do filósofo inglês Thomas Hobbes e dizer que em Westworld o anfitrião é o lobo do anfitrião.

E como se isso não fosse o suficiente para fazer nossa cabeça explodir em perguntas e possibilidades, ainda tem a questão da realidade virtual que cada vez fica mais presente na série, nos fazendo duvidar se o que estamos vendo é real ou apenas uma realidade inventada pelo enigmático Engerraund Serac (Vincent Cassel). Ainda é um grande mistério o fato dele ser uma pessoa praticamente invisível neste mundo, sem que ninguém, nem mesmo Rehoboam, praticamente o conheça ou se tenha informações sobre ele.

Fabio Martins on InstagramFabio Martins on Twitter
Fabio Martins
Santista de nascimento, flamenguista de coração e paulistano por opção. Fã de cinema, música, HQ, games e cultura pop.