Novos Titãs: o que ler para aproveitar melhor a série da Netflix

Titãs, Novos Titãs, heróis, adolescentes, jovens, Turma Titã, Robin, Cyborg, Ravena, Estelar, Mutano, Rapina, Columba, Moça Maravilha, Batman, Arqueiro Verde, Mulher-Maravilha, DC, DC Comics, série, Netflix, Panini, Marv Wolfman, George Pérez gibi, quadrinho, crítica, leitura, resenha, Dimensão Geek, HQ, Liga da JustiçaJá está disponível no catálogo brasileiro da Netflix desde o dia 11 a série Titãs. Formada por jovens heróis liderados por Robin, parceiro do Batman, a equipe precisará aprender a trabalhar junta para se defender de misteriosos vilões. Mas, afinal, além do Menino Prodígio, quem é quem nesse time incomum que está chegando à TV?

Os Titãs, ou Turma Titã, como ficaram conhecidos aqui de início, surgiram em meados da década de 1960 e tiveram diversas formações ao longo dos anos. Mas sempre com a mesma premissa: jovens heróis na adolescência, sendo alguns parceiros de personagens veteranos, como Robin, Moça-Maravilha (Mulher-Maravilha), Aqualad (Aquaman) e Ricardito, depois chamado de Arsenal (Arqueiro Verde).

Entretanto, os personagens confirmados na série condizem mais com a fase Novos Titãs, que é tida como uma das melhores do grupo e começou a ser publicada no início da década de 1980. De início, teremos Robin, Estelar, Mutano, Ravena, Rapina e Columba e outros ainda podem aparecer nas próximas temporadas.

E, para conhecer melhor o grupo enquanto assiste à série, a melhor pedida é ler a série de encadernados Lendas do Universo DC – Os Novos Titãs, que está sendo publicada pela Panini em quatro volumes e reúne histórias escritas por Marv Wolfman e desenhadas por George Pérez (desenhista veterano e um dos mais célebres a trabalhar para a DC Comics). O volume um, que saiu em setembro do ano passado, mostra como um novo time de Titãs é reunida pela mística Ravena e é obrigada a trabalhar em equipe – meio a contragosto às vezes – para deter diversos tipos de malfeitores, incluindo Trigon, o pai demoníaco dela.

O mais interessante nesse primeiro arco dos Titãs, que também traz o Cyborg, personagem atualmente visto na Liga da Justiça, é o quanto é fácil se identificar com os heróis. Todos têm um absurdo senso do dever, mas diversos conflitos internos sobre quem são, o que querem e o quanto seus mentores influenciam em suas vidas. Tudo isso enquanto salvam o mundo.

Esse encadernado ainda mostra como Estelar, a princesa Koryand’r do planeta Tamaran, chegou à Terra e como ela vê nossa sociedade e os costumes. Também vemos um Robin (Dick Grayson) amargurado, que deixou a mansão Wayne para trilhar seu próprio caminho e já não aguenta mais viver à sombra do Batman. Isso sem falar nos problemas de Ravena, que aparece em nosso mundo perdida e com poderes demoníacos e assustadores.

É essa mescla de temas cotidianos da vida de jovens adultos, como a auto-aceitação, com gibi de super-heróis e temperada com muita ação e uma dose de ingenuidade encontrada nos quadrinhos oitentistas que dá personalidade para a HQ. Mesmo que o tom mais leve destoe um pouco da série da Netflix, Novos Titãs é uma leitura divertida, atemporal e o melhor ponto de partida para se conhecer melhor os jovens heróis da DC.

Ficha Técnica:

Título: Lendas do Universo DC – Os Novos Titãs (vol.1)
Editora: Panini
Autores: Marv Wolfman (roteiro) e George Pérez (desenhos)
Capa: brochura
Lombada: quadrada
Páginas: 180
Formato: 25,6 x 16,4 cm
Lançamento: setembro / 2018

Carlos Bazela
Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.