Mulher-Maravilha e Batman em aventura estilo RPG

Capa da edição especial Batman e Mulher-Maravilha da Panini

O Batman e a Mulher-Maravilha já protagonizaram alguns dos melhores encontros dos quadrinhos da DC Comics, seja apenas em aparições breves ou histórias conjuntas. Tanto é que coube aos dois reunir Liga da Justiça, no filme da equipe. A editora até tentou passar os heróis a um outro nível sugerindo um relacionamento entre eles nas HQs, mas isso também acabou não indo pra frente.

O fato é que a química dos dois heróis é ótima em diversas mídias. E ela se mantém mesmo depois de duas reformulações editoriais na DC, como Os Novos 52 e o Renascimento, fases publicadas no Brasil pela Panini paralelamente entre números mensais e encadernados. E uma prova dessa boa dinâmica da dupla está na edição especial Batman & Mulher-Maravilha.

Na trama, a Guerreira de Temiscyra é convocada por uma divindade celta, Lorde Cernunnos, para ir até Tir na Nóg, a terra das fadas do folclore irlandês, impedir que aconteça uma guerra entre a tribo dos Tuatha dé Danann e os Fomorianos, por conta da morte de Elatha, rei deste último povo.

Vendo a situação se agravar cada vez mais, pela popularidade que Elatha tinha enquanto era vivo, Diana não vê escolha senão convidar ao mundo mágico o Batman, que por coincidência ou não, investigava fênomenos estranhos no bairro irlandês de Gotham. Com o Maior Detetive do Mundo e a Princesa Amazona lado a lado para desvendar a morte do rei, uma trama ainda maior se desenrola e mostra que a terra de magia não é a única em risco.

O traço e a trama de Liam Sharp

Com Diana agindo como link para a parte mística da aventura e Bruce, com seu costumeiro pragmatismo cético, dsendo o pé na realidade o gibi – escrito e ilustrado por Liam Sharp com belas cores de Romulo Fajardo Jr – traz uma história divertida para boas horas de leitura. Com uma ambientação medieval digna de uma partia de RPG, vem cheio de nomes para abastecer nosso conhecimento mitológico e a barra de busca do Google.

Felizmente, há reviravoltas no roteiro que se equilibra bem entre um conto de fantasia e uma história de detetive. Então Batman & Mulher-Maravilha está longe de ser uma HQ mal resolvida, que não entretém quem não seja muito fã das tradições antigas da Irlanda.

Fechada ao ponto de não pedir leituras prévias a novatos nos quadrinhos, uma vez que todas as referências ao passado dos personagens são explicadas ali mesmo, o gibi termina aberto a uma continuação, que seria um ótimo começo de coleção aos recém-chegados nas HQs e um excelente universo para servir de entrada para a nona arte. Afinal, quando esses dois heróis se unem em uma história, você simplesmente precisa ler.

Ficha Técnica:
Título: Batman & Mulher Maravilha
Editora: Panini
Capa: cartonada
Lombada: quadrada
Páginas: 156 em média
Formato: 26 x 17 cm
Lançamento: março / 2019.

Carlos Bazela
Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.