MasterChef| A final patética de um ótimo programa

O MasterChef é um reality show incrível. Um dos maiores programas de competição nesse estilo. A Band acertou em cheio em trazer a atração para o Brasil, acertou na escolha dos jurados (Erick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça têm uma ótima química) e acertou em levar o programa para as redes sociais, principalmente o twitter, onde o show teve um alcance gigantesco, fazendo com que se tornasse um fenômeno.

Mas nem tudo são flores. Ao perceber o tremendo sucesso do programa, a Band esticou o programa ao máximo. Cada episódio tem mais de duas horas de duração, mesmo quando o número de participantes já era pequeno, explorou o assunto em todos os programas possíveis e imagináveis da emissora, enrolou o telespectador com muita encheção de linguiça e o pior de tudo: tratou a final do programa, que foi gravado, como se fosse ao vivo, mesclando a gravação com entradas ao vivo de um grupo de tuiteiros formados por Preta Gil, Milton Neves (sim, MILTON NEVES), um dos caras do CQC, uma garota de cabelo azul, o gordinho que tretou com o marido da Ana Hickmann e outros que agora não lembro.

Embora tenha tirado a marca de “ao vivo” durante a realização da prova, não ficou claro para o espectador que aquilo se travava de uma gravação. A Band deveria ter explicado que a final do MasterChef Brasil já tinha sido gravada e que aquilo nada mais era do que um enfeite oportunista.

Além da “pegadinha do Mallandro”, o programa abusou da boa vontade do espectador com um monte de retrospectivas insuportáveis, uns clipes envolvendo os jurados e a apresentadora Ana Paula Padrão que extrapolaram o limite da vergonha alheia e muita, mas muita enrolação para revelar o que todo mundo que leu o spoiler revelado pelo UOL já sabia: Izabel Alvares era a grande vencedora da segunda temporada de MasterChef Brasil.

A final “ao vivo” foi tão falsa que nem mesmo o anúncio do vencedor pelo twitter foi real. Era nítido que não era Ana Paula Padrão que estava tuitando o nome do ganhador pelo celular. Uma vergonha.

Mas tirando esse fake ao vivo e o tempo de duração do programa, é inegável que o programa seja um sucesso. Só para se ter uma ideia, segundo o contador da Band, a final do MasterChef Brasil teve mais de um 1,5 milhão de menções no twitter. A atração só precisa mesmo ser bem editada para não continuar nesse arrasto infinito.

No dia 20 de outubro a emissora estreia a versão infantil do programa, O MasterChef Junior, voltado para crianças entre 8 e 13 anos. Até lá esperamos que seja contratado um bom editor para o reality show, pois os pequeninos não aguentarão ficar acordados até de madrugada para assistir a atração.

Fabio Martins on InstagramFabio Martins on Twitter
Fabio Martins
Santista de nascimento, flamenguista de coração e paulistano por opção. Fã de cinema, música, HQ, games e cultura pop.