I Am Not Okay With This: o mais do mesmo que deu certo

Com apenas seis episódios de 20 minutos cada, a Netflix conseguiu emplacar mais uma série que se enquadra bem certinho na sua lista de estereótipos para atrações juvenis. I Am Not Okay With This conta a história de Sidney, interpretada por Sophia Lillis (mais conhecida por ter representado Beverly nos últimos dois filmes de It), uma jovem desajustada que em meio ao florescer de sua adolescência, começa a passar por acontecimentos estranhos e descobre ser menos normal do que pensava em relação a seus colegas de classe.

Dirigida por Jonathan Entwistle, que foi responsável anteriormente pela série The End of the F****ing World, também lançada pelo streaming, já se percebe que o show não foge muito do estilo de outros pertencentes à plataforma. I Am Not Okay With This possui o clima bem semelhante à série a recém citada e uma ambientação visual que lembra bastante Stranger Things, ou até mesmo O Mundo Sombrio de Sabrina, pois a beleza e figurinos das personagens, assim como nesses outros dois programas da Netflix, também são inspiradas nos anos 80, mesmo que não fique claro exatamente em qual época se passa a história.

Além dessas semelhanças, é impossível não fazer um paralelo com o filme It: A Coisa, uma vez que I Am Not Okay With This possui Lillis no papel principal, exatamente igual ao visual que mantinha no longa, e, além dela, conta com Wyatt Oleff, que interpreta um personagem de mesmo nome do que havia encarnado no filme de terror: Stanley. Porém, diga-se de passagem, com muito mais carisma e personalidade, sendo um dos mais cativantes do seriado.

Apesar de muitas semelhanças e referências a outras obras oitentistas como Carrie, A Estranha e O Clube dos Cinco, a atração tem potencial, é intrigante e gostosa de assistir, até mesmo por ser curta e ter uma duração bem leve que não é comum em séries dramáticas. Ela foge das temáticas anteriormente citadas ao incluir em sua trama um roteiro que beira uma história de descobrimento de poderes paranormais que é narrada pela protagonista em primeira pessoa, esse enredo é inspirado em uma HQ que leva o mesmo nome e é escrita por Charles Forsman, mesmo autor da graphic novel de The End of the F****ing World.

Há algumas diferenças entre a série e a HQ em relação ao direcionamento que a história de Sidney toma no decorrer do tempo, mas as principais questões estão presentes lá: o bullying durante a vida escolar, a descoberta da sexualidade, a depressão por lidar com traumas de família e as incertezas da juventude rumo ao amadurecimento.

Como um todo, I Am Not Okay With This entrega um bom entretenimento, ela é bem executada com ótimas atuações e um final chocante que deixa aquele gostinho de quero mais, o que deve ter sido muito bem pensado para o lançamento de uma segunda temporada futuramente.

Luna Rocha on FacebookLuna Rocha on Instagram
Luna Rocha
Designer de moda e redatora, interessada por arte e cultura pop em suas mais diversas áreas. Curte adaptações literárias para o cinema e, se fosse uma heroína, seria Vampira de X-Men.