HQs do Gavião Arqueiro são tiro certeiro da Marvel

Gavião Arqueiro, Minha Vida Como Uma Arma, Pequenos Acertos, Vingadora da Costa Oeste, Rio Bravo, Matt Fraction, David Aja, Gaviã Arqueira, Panini, Clint Barton, Kate Bishop, Viúva negra, Homem de Ferro, Vingadores, Wolverine, Homem-Aranha, capa dura, desenho, hq, gibi, quadrinho, crítica, leitura, resenha, Dimensão Geek,Em agosto do ano passado, a Panini publicou o encadernado Rio Bravo, que conclui a série do Gavião Arqueiro escrita por Matt Fraction e desenhada por David Aja. O quarto e último volume chegou pouco mais de dois anos depois do que o compilado Minha Vida Como Uma Arma, publicado em janeiro de 2016, que inicia a saga.

Então, se você é daqueles que não aguenta sofrer de ansiedade entre um volume e outro, essa é a hora de ter na coleção a interpretação definitiva para um dos personagens mais carismáticos da Casa das Ideias.

Nos quatro encadernados, Fraction aborda quem é Clint Barton quando não está ao lado dos heróis mais poderosos da Terra em seu esforço para viver uma vida simples e pacata. Na visão dele. Na realidade, acompanhamos um personagem cômico e trágico, impulsionado por um forte senso de dever e que não tem tato nenhum para lidar com as pessoas do seu convívio.

Na história, Barton se torna entre síndico e proprietário de um prédio no Brooklin, periferia de Nova York, que é alvo da violenta Gangue do Agasalho de Ginástica, que tem planos nada amistosos para a região. Lá, o Vingador se divide entre protetor dos moradores e tutor de Kate Bishop, a Gaviã Arqueira dos Novos Vingadores.

A dinâmica entre Kate, Clint e o cachorro dele, Sortudo, é o ponto alto da série. Nos quatro volumes, os três riem, choram, brigam e sobretudo se apoiam. Outro ponto bem sacado é que as participações dos vizinhos de outros heróis famosos da Marvel, como a Viúva Negra, Wolverine, Homem-Aranha e Homem de Ferro têm o mesmo peso, o que ajuda a reforçar a ideia de cotidiano normal da série.

O traço de David Aja é outra decisão certeira para isso. Com estética fluida, Aja entrega páginas com desenho minimalista e outra com cenas super detalhadas, que ajudam a ambientar o leitor no peso emocional que a cena quer mostrar. Oscilando o foco entre Clint Barton e sua protegida – o terceiro volume leva o nome Gaviã Arqueira – Vingadora da Costa Oeste – a série tem feitos heroicos e entrega a ação que se espera, mas é nos momentos mais intimistas que acerta mais. Principalmente ao mostrar que os atiradores mais precisos do mundo são capazes de errar. Como todos nós.

Ficha Técnica:

Títulos:
Gavião Arqueiro – Minha Vida Como Uma Arma (vol.1)
Gavião Arqueiro – Pequenos Acertos (vol.2)
Gaviã Arqueira – Vingadora da Costa Oeste (Vol.3)
Gavião Arqueiro – Rio Bravo (Vol.4)
Editora: Panini
Autores: Matt Fraction (roteiro) e David Aja (arte)
Capa: dura
Lombada: quadrada
Páginas: 152 (vol.1), 140 (vol.2), 124 (vol.3) e 160 (vol.4)
Formato: 26,6 x 17,4 cm
Lançamento: janeiro /2016

Carlos Bazela
Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.