Dos games para os gibis: conheça as HQs da Série Arkham do Batman

Capa jogo Batman Arkham Asylum PlayStation 3

Muito se falou no fim de março sobre os 80 anos do Batman. A edição de estreia do Cruzado de Capa chegou ao mercado em 29 de março de 1939 e desde então, o Morcego é um dos personagens mais relevantes da cultura pop. E embora praticamente todo mundo saiba que ele veio dos quadrinhos, foram os filmes, desenhos animados e a série de 1966 – que também virou gibi – os responsáveis pela fama do Cavaleiro das Trevas.

Em 2009, entretanto, o Batman deu o primeiro passo para se tornar uma lenda em outra plataforma: os games. Não que antes disso faltassem bons jogos do Morcegão, como Vengeance na época do PlayStation 2 e o dificílimo Batman Forever para Super Ners. Mas, foi o incrível Arkham Asylum, baseado na HQ de mesmo nome, que fez diversos gamers mergulharem de cabeça no universo do personagem, fielmente retratado e atualizado com elementos modernos.

Capa da edição brasileira do volume 1 de Batman - Caos em Arkham City, publicado pela Panini

Com o sucesso, logo continuações foram confirmadas. Seguido por três outros jogos em uma crescente em termos de qualidade (Arkham City, Arkham Origins e Arkham Knight), não demorou pra franquia receber uma série de adaptações para a nona arte, que são ótimas tanto para os fãs, quanto para quem nunca leu uma HQ na vida. E todas foram publicadas aqui pela Panini.

Dividida em quatro volumes, Caos em Arkham City narra acontecimentos de antes do jogo e histórias paralelas enquanto o Batman permanece dentro dos muros da prisão precária construída em Gotham. O desenrolar do plano de Hugo Strange e como ele conseguiu murar bairros inteiros da cidade para isolar os criminosos são explicados em detalhes por diversos roteiristas e artistas, que ainda reproduzem o visual sombrio do game.

Já na HQ Origens do Arkham, a ideia é a mesma, mas com execução diferente. O gibi pega carona na ideia do jogo de mostrar um Batman no começo de carreira para construir uma história interativa, na qual o leitor pode vencer ou falhar, dependendo das escolhas que fizer. Tudo isso ao optar por uma ou outra página durante a leitura.

Capa da edição brasileira do volume 1 de Batman Arkham Knight, publicado pela Panini

Por fim, vieram os gibis inspirados em Arkham Knight. Ainda na fórmula de mostrar acontecimentos paralelos à história do game, os três volumes aproveitam a quantidade de personagens do jogo e seus ótimos conteúdos extras para download (DLCs) para compor narrativas mais densas e que ainda se aprofundam em tramas secundárias, como as aventuras da Batgirl. Há ainda o volume extra Arkham Knight: Gênese, que completa a saga e, como o nome diz, é uma edição inteiramente dedicada a contar como surgiu o infame inimigo, que atazanou o Batman no último jogo da série.

E se essas serão as primeiras HQs que você está lendo do personagem, bem-vindo ao clube! Ainda tem muitas outras histórias ótimas nesses 80 anos de Batman que você vai adorar conhecer.

Ficha Técnica:

Título: Batman – Caos em Arkham City (4 volumes)

Batman – Origens do Arkham (volume único)

Batman – Arkham Knight (3 volumes)

Batman – Arkham Knight: Gênese (volume único)

Editora: Panini

Capa: cartonada

Lombada: quadrada

Páginas: 150 em média

Formato: 26 x 17 cm

Lançamento: junho / 2013, abril / 2014, outubro / 2014, abril / 2015 (Caos em Arkham City);

março / 2016 (Origens do Arkham);

dezembro / 2015, julho / 2017, dezembro / 2017 (Arkham Knight);

março / 2017 (Arkham Knight: Gênese).

Carlos Bazela
Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.