Deadpool 2 | Crítica do filme (SEM SPOILERS)

O grande problema do primeiro filme do Mercenário Tagarela é o excesso. São tantas piadas em sequencia que algumas ótimas sacadas acabem se perdendo no meio de tanta, mas tanta, gracinha. Deadpool 2 veio com um orçamento maior e com isso veio a preocupação de ser mais excessivo e megalômano que o anterior. Felizmente não é isso que ocorre. Ao acertarem o tom, a nova produção da Fox supera em muito a primeira aventura do anti-herói, dando mais dramaticidade ao personagem, uma melhora significativa no roteiro e com isso ajustando aquilo que o filme tem de melhor: o senso de humor.

Hilariante até a alma, Deadpool 2 teve problemas durante as filmagens. As tais “diferenças criativas” entre o astro Ryan Reynolds e o diretor Tim Miller, culminaram na demissão do segundo. Mas o resultado da briga acabou dando certo, e o Mercenário levou a melhor, pois a direção do filme caiu nas mãos de David Leitch (responsável pelos ótimos De Volta Ao Jogo e Atômica). Leitch conseguiu equilibrar as piadas com as partes dramáticas e com um roteiro mais equilibrado e um elenco mais encorpado entregou uma produção divertidíssima, repleta de tiradas sensacionais.

O grande destaque do novo elenco é a atriz Zazie Beetz, que interpreta a Domino. Sua habilidade em sempre ter sorte rende ótimas cenas e momentos hilariantes, principalmente quando bate de frente com Deadpool que não acredita que sorte é um superpoder. Outros personagens secundários, como o taxista Dopinder (Karan Soni), aumentaram sua participação na tela e acrescentaram muito ao filme. Deadpool 2 acerta também em cheio na escolha de Josh Brolin no papel de Cable. O ator, que também está em cartaz em Vingadores: Guerra Infinita interpretando Thanos, consegue elevar o nível do personagem com uma grande atuação e ótima química com Reynolds.

A história de Deadpool 2 é bastante simples. Depois de sofrer um abalo, o Mercenário Tagarela se refugia na mansão dos X-Men. Enquanto isso, Cable vem para o nosso presente para matar um garoto antes dele se tornar um tirano no futuro. Os caminhos deles se cruzam e Deadpool quer ajudar o menino, pois acredita que ele é capaz de se recuperar e se salvar desse destino aterrorizante. Qualquer semelhança com o Exterminador do Futuro não é mera coincidência e, lógico, tem piadas sobre isso. Por falar nos mutantes, personagens queridos dão o ar da graça rapidamente e um vilão muito querido vai fazer muita gente surtar no cinema.

Por falar em piadas, impressionante como elas casam bem com as ótimas cenas de ação do filme e com as partes mais ‘sérias’ também. Sempre na medida, elas não perdoam ninguém. Marvel, Fox, DC, diversos filmes, situações e personagens são alvos da metralhadora giratória de Deadpool. A “homenagem” ao filme Instinto Selvagem é de chorar de rir.

Mas nada disso seria possível se Reynolds não fosse o protagonista do filme. É impressionante como ele incorpora perfeitamente o papel de Deadpool. Não é nenhum exagero afirmar que assim como Robert Downey Jr nasceu para ser Tony Stark e Christopher Reeve para ser o Superman, ele nasceu para viver o Mercenário Tagarela. Definitivamente este é o papel de sua vida.

Por fim, importante ressaltar que existem duas cenas durante os créditos de Deadpool 2 e elas são absurdamente geniais. Impossível não gargalhar com ambas. Fique no cinema até o final. Acredite. Valerá muito a pena.

Fabio Martins on InstagramFabio Martins on Twitter
Fabio Martins
Santista de nascimento, flamenguista de coração e paulistano por opção. Fã de cinema, música, HQ, games e cultura pop.