Santa Leitura! O Batman de 1966 virou gibi

Capa do encadernado Batman'66 – Luz, Câmera e Ação“Estará a Dupla Dinâmica condenada para sempre? O Coringa finalmente vai rir por último? Não perca o próximo episódio nesta mesma bat-hora e neste mesmo bat-canal”. Essa é apenas uma das frases que davam o tom do seriado do Batman de 1966, que de tantas reprises ao longo dos anos acabou se tornando bastante cultuado, mesmo por quem nunca leu um gibi do personagem.

Aliás, aquela versão caricata e divertida do Cruzado Encapuzado ainda é a favorita de muita gente que ainda é alheio ao universo das HQs. Então, se você é daqueles que vê em Adam West e Burt Ward as encarnações definitivas de Batman e Robin, e isso faz com que fique longe dos quadrinhos tradicionais do Cavaleiro das Trevas, por achar eles sisudos e violentos demais, se prepare para mergulhar sem medo na nona arte.

Está nas bancas e livrarias brasileiras o encadernado Batman’66 – Luz, Câmera e Ação. O livro é o quarto volume que reúne histórias inspiradas pelas aventuras do Morcego antigo da TV, publicados em capa dura pela Panini Books. Com a arte no mesmo estilo colorido e relembrando as feições dos atores que interpretavam os heróis e vilões, o gibi traz outros personagens únicos desse universo, como o Chefe O’Hara, braço direito do Comissário Gordon, e a Tia Harriet, outra moradora da Mansão Wayne, fielmente reproduzidos.

Em histórias curtas e sem ligação entre si, Jeff Parker, Gabe Soria, Craig Russeau, Paul Rivoche, Allen Passalaqua e Tony Aviña trazem a mesma a ambientação do seriado de 1966 em contos inéditos, mas com o mesmo grau de exagero e diversão, tal qual era na televisão.

Os destaques vão para a primeira aventura, o “Detetive das Trevas”, na qual o Batman é retratado como um detetive violento em um seriado de TV local, para o choque de Bruce Wayne; e outra na qual o herói cria um robô gigante, no melhor estilo Frankstein Jr. da Hanna-Barbera, para substituí-lo no combate ao crime. Tudo temperado com quadros com textos de narrador, que se repetem nas falas dos heróis logo em seguida, o vocabulário rebuscado – e esdrúxulo – do Batman e os bordões do Robin.

E é isso que faz de Batman ’66 – Luz, Câmera, Ação uma leitura divertida. Para relaxar no transporte público, depois do trabalho, em casa, após encarar uma maratona de estudos ou mesmo na cama, para dormir mais leve.

Ficha Técnica:
Título: Batman ’66 – Luz, Câmera, AçãoBatman ’66 – Luz, Câmera, Ação
Editora: Panini
Autores: Jeff Parker, Gabe Soria e Tom Peyer (roteiro), Craig Russeau, Paul Rivoche, Allen Passalaqua, Dean Haspiel, Wilfredo Torres, Brent Schoonover, Scott Koealchuck, David Bullock, Kelly Fitzpatrick e Tony Aviña (arte)
Capa: dura
Lombada: quadrada
Páginas: 132
Formato: 26 x 17 cm
Lançamento: janeiro / 2019

Carlos Bazela
Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.