Barão Macaco: HQ está com nova campanha no ar

O autor da HQ Sabores Brasilis, o redator e roteirista Hector Lima, está com uma nova campanha crowdfunding para o seu novo projeto: a graphic novel de suspense policial “Barão Macaco” criada ele, Milton Sobreiro e Felipe Sobreiro. Os interessados em participar desse financiamento coletivo precisam clicar nesse link para participar. Esse é um ótimo momento para ajudar um projeto desse tipo, pois o mercado nacional está em alta em uma ótima fase criativa.

Hector Lima é um dos representantes dessa nova geração que está fazendo o mercado de HQ independente fervilhar. “As pessoas estão vendo que Gibi não é só Turma da Mônica, Marvel e DC – inclusive os próprios estão vendo que há novas gerações de autores surgindo e estão chamando os melhores para criar projetos de encomenda . Essa galera nova veio do mundo independente, que está fervilhando de produção, em quantidade e qualidade”, explica Lima.

Essa nova visão de mercado está fazendo com que a HQ independente melhore em diversos aspectos, tanto de produção quanto de consumo. “Um novo mercado está sendo criado, inclusive com fomento público: o maior incentivador à produção e consumo de Gibi continua sendo os governos estadual e federal com programas como o ProaC e PNBE. Ainda é difícil um autor viver só do próprio trabalho autoral, mas no geral a coisa está melhorando. E o público está sendo cativado por novas histórias e personagens que têm continuidade de histórias. Isso se reflete no modelo do financiamento coletivo, praticado em sites como Catarse e Kickante. Estamos vivendo o momento de virada – a médio prazo vamos ter um cenário bem interessante”, acredita.

Mesmo com o mercado numa fase boa, a vida dos autores independentes não é fácil. O custo ainda é alto para publicar uma HQ própria. Só a impressão de Barão Macaco custará cerca de R$5 mil. Além disso, tem o registro na Biblioteca Nacional, envio pelos Correios e outros custos. “Na primeira campanha a gente previu custos de produção de roteiro e arte. Cortamos isso da campanha nova pra ela chegar mais rápido aos 50%, o ‘número mágico’ dos financiamentos coletivos – que incentiva as pessoas a colaborar”, explica Lima.

Na HQ de Barão Macaco, a vida loka do crime compensa e muito – como sabem Massa e Zen, os traficantes mais violentos da região. Para todos, inclusive alguns policiais corrompidos, faturar é a única lei. O crime é um Negócio, um comércio que sustenta o padrão de muitas vidas a troco de outras. Mas algumas operações começam a dar errado: dinheiro some e pessoas-chave aparecem mortas. A estrutura fica abalada e desconfiança se instala. Uma facção ataca a outra e delegados, como Fonseca, estão sempre um passo atrás. Correm boatos sobre a presença de uma figura misteriosa com cara de macaco nos locais dos crimes. Será verdade ou lenda? É o que a jornalista Renata quer investigar, sem saber que está se metendo em um fogo cruzado.

E aí? Quer descobrir quem é o Barão Macaco? Entre nessa campanha clicando aqui.

Fabio Martins on InstagramFabio Martins on Twitter
Fabio Martins
Santista de nascimento, flamenguista de coração e paulistano por opção. Fã de cinema, música, HQ, games e cultura pop.