Aventuras de uma Criminóloga é seriado policial em HQ

Capa de J.Kendall 143 Aventuras de uma Criminóloga da Mythos Editora

Quando se procura um livro de ficção, muita gente escolhe algo que não perca o link com a realidade. É por isso que os romances policiais fazem tanto sucesso. O mesmo acontece com séries de TV: é fácil se perder nos números ao tentar contar quantos seriados já foram feitos com temática de investigação criminal e quais deles ainda permanecem no ar com audiência lá em cima.

Por que eu estou dizendo isso? Porque assim como a literatura e a televisão, as HQs também são ótimas para trazer histórias policiais e bem ancoradas na realidade. Prova disso é J.Kendall – Aventuras de uma Criminóloga, publicada aqui pela Myhos Editora e que está atualmente na edição de número 143.

E antes que você estranhe trazermos aqui um gibi em numeração tão avançada, já aviso que a HQ traz duas histórias completas e fechadas. Uma leitura divertida e de fácil compreensão até mesmo para quem ainda não conhece Júlia Kendall – ou nem sequer chegou a ler um gibi na vida.

Neste volume temos as histórias: “Vento de Outubro” e “A Calmaria”, que dá nome ao encadernado. Ambas são escritas pelos italianos Giancarlo Berardi, criador da personagem, e Lorenzo Calza. Já os belos desenhos em preto e branco – assim como em Dylan Dog – que ilustram a HQ ficam a cargo de Claudio Piccoli, na primeira, e Ernesto Michelazzo na segunda.

Tramas complexas

Como um bom seriado policial, as tramas de Júlia Kendall são complexas. Na primeira, ela precisa desvendar um assassinato e evitar um iminente conflito de gangues em um dos bairros periféricos de Green City, a cidade norte-americana na qual vive.

Já em “A Calmaria”, a criminalidade parece ter tirado férias ao momento que a cidade está se preparando para ver o primeiro zeppelin da era moderna levantar voo. Mesmo cercado pelos presságios ruins do desastre do dirigível alemão Hindenburg, em 1937.

Em ambas as histórias, o leitor só fica realmente sabendo o que aconteceu nas últimas páginas. E, tal qual um episódio de seriado, vai formulando teorias e investigando os crimes – ou a ausência deles – junto com a astuta criminóloga. A expressividade dos personagens e o texto rebuscado são outra herança dos livros, que enriquecem ainda mais a narrativa.

No fim, J. Kendall é uma leitura divertida e despretenciosa, que abre mão de clichês clássicos dos gibis para fisgar leitores, como grandes histórias divididas em vários volumes. Contudo, sua estrutura de arcos fechados é instigante o suficiente para deixar todo mundo ávido pelo próximo volume, a mesma ansiedade que sentimos pelo episódio seguinte de uma boa série policial.

Ficha Técnica:
Título: J.Kendall: Aventuras de uma Criminóloga 143 – A Calmaria Editora: Mythos
Autores: Giancarlo Berardi e Lorenzo Calza (roteiro), Claudio Piccoli (arte em Vento de Outubro) e Ernesto Michelazzo (arte em A Calmaria)
Lombada: quadrada
Capa: cartonada
Páginas: 264
Formato: 17,6 x 13,2 cm
Lançamento: novembro / dezembro de 2019

Carlos Bazela
Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.