A Caminho de Casa – Crítica do filme

Baseado no livro homônimo de W. Bruce Cameron, também autor de ‘Quatro Vidas de um Cachorro’ e ‘Juntos para Sempre’, ‘A Caminho de Casa’ (A Dog’s Way Home) retrata o amor incondicional entre uma cadelinha e seu dono e o que ela é capaz de enfrentar para encontrá-lo.

Bella, interpretada por duas cadelas – uma quando filhote e outra, já adulta – é a estrela do longa, dirigido por Charles Martin Smith (Winter, o Golfinho). Adotada por Lucas (Jonah Hauer-King), ela se torna alvo do Controle de Animais por ser considerada um pitbull. Em Denver, cães dessa raça são proibidos por lei e, por isso, Bella é levada para o interior temporariamente, até que seus donos se mudassem para alguma outra cidade onde ela pudesse viver sem o risco de ser sacrificada.

Inconformada por estar longe de Lucas, um estudante de medicina que alimenta animais abandonados, a cachorra foge e inicia uma jornada de 600 quilômetros de volta para seu lar, enquanto tenta, inocentemente, obedecer a um dos comandos ensinados pelo dono, o “vai pra casa”. No caminho, entre florestas e montanhas, a meiga vira-lata se depara com os perigos de um animal em condição de rua: fome, sede, frio e abandono. Bella, que é dublada na versão original por Bryce Dallas Howard (Jurassic World: Reino Ameaçado), também encontra outros animais e humanos durante a aventura e, mesmo se apegando a alguns deles, como um filhote de puma – representado por computação gráfica -, permanece na busca comovente pelo seu melhor amigo.

Longas sobre animais de estimação em geral, principalmente cachorros, são apostas dos estúdios quando o objetivo é causar aperto no coração dos espectadores. A narrativa em ‘A Caminho de Casa’, feita pela carismática cadela, é tocante e faz o público oscilar entre risos e lágrimas. O filme, no entanto, diferentemente de outros grandes exemplos do gênero, como ‘Marley & Eu’ (2008) e ‘Sempre ao Seu Lado’ (2009), traz um viés mais infantil à história, que é conduzida de maneira ingênua, com clichês e utilização de efeitos especiais um tanto amadores, sobretudo em cenas em que Bella está em situações de risco, como quando é caçada por lobos ou escorrega em um lago congelado.

O thriller aborda, mesmo que de maneira rasa, questões importantes como o abandono de animais, a polêmica lei que proíbe pitbulls em Denver e a utilização benéfica de cães no tratamento de pacientes com depressão. Mostra ainda a lealdade e o companheirismo dignos dos cachorros na amizade improvável entre Bella e a puma chamada de “gatona”.

‘A Caminho de Casa’ é um filme agradável para a família e emociona quem se identifica com o amor e o elo entre cães e humanos. Prepare os lencinhos!

Ana Freitas on FlickrAna Freitas on Instagram
Ana Freitas
Paulistana, jornalista, apaixonada por automobilismo, games, culinária, dança, viagens, natureza e mundo geek.